MINHA INFÂNCIA

Comentários de nossos colegas sobre... Minha Infância:


“Falando de jogos e brincadeiras infantis, me lembro da minha infância que foi vivida com muitas brincadeiras, principalmente as brincadeiras de rua. Na infância sempre tive muito tempo para brincar, era o que mais fazia, acho que me fez gostar tanto da educação, ainda lembro que sempre brincava de escolinha”. “A brincadeira é fundamental para o desenvolvimento das sensações e afetos das crianças, além do humor e criatividade”. (Roberta Jardim Santos).

“... já pulei muita corda, e me lembro dessa musica perfeitamente, sempre perdia quando chegava ao foguinho... não dava conta de acompanhar!” (Ana Flávia).

“... brincava de cabra-cega na casa dos meus avôs. Na roça a noite no terreiro cheio de buracos, naquela escuridão, ainda amarrava um pano bem escuro nos olhos parecia que quando eu ia pisar no chão ele não existia, às vezes até caia, os outros que estava correndo quase morria de tanto rir, mas como estava com os olhos tapados não os enxergavam só ouvia.” (Bernadete Rocha).

“... brincávamos de pique esconde, pega pegou e suas variações -  pega macaco, pega acocorou, pega congelou, sete pecados que eu adorava, pular corda, Elástico, saquinho (três Marias), queimada, barra bandeira, peteca.” (Tutora Luanna Amorim).

“Legal demais!!! Já brinquei muito de passar anel nas ruas de Chalé (cidadezinha onde eu nasci).” (Profº Drª Márcia Ambrósio).

“... brinquei de tanta coisa, de pega-pega, esconde-esconde, brincadeiras de roda, amarelinha, queimada, brincadeiras com bola, brincadeiras com as mãos, biscoitinho queimado, danças, boneca, comidinha de barro, entre muitas outras.” (Flávia Seixas).

“... gostava de brincar era bambolear, jogar pedrinhas. E lembro que os meninos jogavam bolinha de gude e batiam figurinha de jogador de futebol.” (Eliana Ferreira).

“... minhas preferidas são as brincadeiras de mão, algumas que nem lembro mais como "Chiclete" e ''Eu fui à China. '' (Tutora Luanna Amorim).

“... sempre adorei brincar de queimada na rua, na rua onde eu morava tínhamos uma turminha que adorava essas brincadeiras.” (Graciela Vera).

“Eu gostava muito de brincar de coelhinho na toca e agora no estágio vejo que as crianças também adoram...” (Michelly Nepomuceno).

“... adorava quando Tia Gorete cantava: A Barata Diz Que Tem... esse tempo em minha vida e emocionante adoro relembrar, essa era apenas uma das musicas que minha querida professora cantava como devia ser difícil para ela, pois ela trabalhava com uma sala multi-seriada, mas todos a respeitavam muito, Saudades!!!! (Maria Ângela Gomes).

“... brinquei muito na rua, de queimada, de pega-pega, de esconde-esconde, biscoitinho queimado... Era assim: pegávamos algum objeto "o biscoitinho", e escondíamos enquanto os outros estavam com os olhos fechados.” (Clarice Trindade).

“... ocasionalmente também brincávamos com as meninas: amarelinha, "passar anel", pular corda, "beijo, abraço ou aperto de mão". Com certeza as brincadeiras de algumas décadas atrás eram mais divertidas! Quanta saudade!” (Josafa Liborio).

“As brincadeiras de criança que mais marcaram minha infância foram o jogo de pedrinhas, queimadas na rua, balança caixão, biscoitinho queimado e muitas outras. Mas acredito que a nossa infância oferecia mais felicidade para as crianças, pois no mundo contemporâneo, apesar de necessárias, as tecnologias da informação como internet, vídeo games, televisão, celular e outros tiraram um pouco a magia da infância que estava presente nas brincadeiras infantis...” (Seila Pereira).

“O momento da brincadeira possui grande importância na educação infantil, pois contribui para o desenvolvimento do potencial integral da criança, sendo também o espaço que proporciona liberdade criadora, oportunidades de socialização, afetividade e um encontro com o seu próprio mundo, descobrindo-se de maneira prazerosa.” (Graciela Ferreira).

“Os jogos e brincadeiras proporcionam momentos ricos de aprendizagens porque estão envoltos num contexto de magia do universo infantil. As brincadeiras muitas vezes começam no quintal de nossa própria casa, as crianças ampliam sua diversidade de gestos na educação infantil, brincar e cantar. Percebo que as crianças ficam muito envolvidas com as atividades. Quando mais conhecem, se apropriam de novas brincadeiras, maiores eram suas referências e as formas de experimentar com o corpo novas descobertas.” (Yara Ferreira de Souza).

“Através dos jogos e brincadeiras o professor pode complementar ou inserir atividades de aprendizagem como nas avaliações psicomotoras, reta métrica para as crianças entenderem o valor crescente e decrescente e na brincadeira de par ou impar, quanto estive em sala de aula apliquei essas brincadeiras e as crianças entenderam com mais facilidade.” (Rose Carvalho de Faria).

“Brincar é uma importante forma de comunicação, é por meio deste ato que a criança pode reproduzir o seu cotidiano. O ato de brincar possibilita o processo de aprendizagem da criança, pois facilita a construção da reflexão, da autonomia e da criatividade, estabelecendo, desta forma, uma relação estreita entre jogo e aprendizagem.” (Maria Antonia Esteves).

“Na Educação Infantil, os jogos e as brincadeiras devem ser processos naturais onde o objetivo seja o prazer, a alegria, a livre exploração do brinquedo. Essas atividades devem fluir naturalmente, partindo da curiosidade dos alunos. É importante que o professor descubra e trabalhe a dimensão lúdica para o aperfeiçoamento da sua prática pedagógica.” (Elaine Granato Viana).

“Podemos pensar nas crianças da educação infantil, como uma plantinha que vai crescendo até se tornar um adulto. Nesse caso a tarefa dos pais e professores é cuidar para que essa criança tenha um bom desenvolvimento social e cultural com uma boa educação, um ambiente tranquilo seja em casa ou na escola. Visto que ela é capaz de determinar até certo ponto aqueles aspectos do meio em que está inserida.” (Laura Lili).

“É impressionante como os "fazedores" de políticas públicas voltadas à educação insistem em dotar o ensino com muitas "novidades" tecnológicas e não incentivam a aprendizagem através do lúdico, das brincadeiras, assim como proposto por Maria Montessori e Freinet. A criança aprende melhor se o ensino for ministrado de forma alegre, com brincadeiras, com a manipulação de objetos, com a relação efetiva e afetiva entre as crianças. A criança, assim, se torna protagonista de seu próprio aprendizado. Daí a necessidade de se criar espaços na escola onde estas dinâmicas possam ocorrer.” (Joasafá Antônio Liborio).

“Sabemos que as crianças têm uma enorme facilidade em aprender, e o professor que consegue explorar isso em suas aulas, transforma o momento de aprender em uma prazerosa e instigante aula. As brincadeiras e jogos ajudam o professor na tarefa da socialização.” (Cristiane Alves de Lima).

“... houve muitas mudanças significativas na educação infantil. O direito ao conhecimento e a ludicidade tem-se tornado real. A finalidade para o desenvolvimento intelectual e sócio-interativo está em andamento conforme o Referencial Curricular. Muitos professores têm elaborado meios estratégicos para avançar no bom ensino. Conduzir os alunos ao bom conhecimento tem sido suas metas. O professor que reconhece as habilidades de seus alunos e passa a utilizar essa "ponte", ganha outros meios de produzir aulas interessantes e que venham a somar para o sucesso de seu ensino.” (Reginaldo Silva).

“... é brincando que as crianças aprendem, eles tem mais facilidade quando os conceitos abstratos envolvem o tato a visão e a audição, aprendem rapidamente. A sociabilidade da criança começa através de brincadeiras e de jogos interativos, possibilitando um desencadeamento de aprendizagens significativas para sua vida durante o período escolar, é uma base que ele constrói e se apoia durante sua vida adulta...” (Bernadete de Lourdes Silva Rocha).

“... brincar é uma importante forma de comunicação, é por meio deste ato que a criança pode reproduzir o seu cotidiano, num mundo de fantasia e imaginação. O ato de brincar possibilita o processo de aprendizagem da criança, pois facilita a construção da reflexão, da autonomia e da criatividade, estabelecendo, desta forma, uma relação estreita entre jogo e aprendizagem. Segundo Vygotsky acentua o papel ao ato de brincar na constituição do pensamento infantil, pois é brincando, jogando, que a criança revela seu estado cognitivo, visual, auditivo, tátil, motor, seu modo de aprender e entrar em uma relação cognitiva com o mundo de eventos, pessoas, coisas e símbolos. Ainda podemos dizer que o ato de brincar acontece em determinados momentos do cotidiano infantil.” (Silvia Helena Azola).

“É extremamente importante trabalhar dentro da escola a continuação da infância por mais subjetiva que seja e, dar a criança à possibilidade dela estar em contato com aquilo que a satisfaz, o brinquedo a brincadeira, jogos e, a convivência com os colegas. Portanto, este é o ponto chave, cultivar o lúdico dentro da Educação Infantil de forma segura e contribuindo de maneira significativa no desenvolvimento geral das crianças. O brincar, a imitação, a repetição, a imaginação, a interação com os colegas, a exploração e a prova são características da ação infantil, utilizadas para entender e transformar o mundo em que estão inseridas.” (Ângela Aparecida de Oliveira).

“Na educação Infantil a criança tem oportunidades de se socializar e vivenciar novos aprendizados e tudo de forma bem lúdica e divertida. Quando em contado com outras crianças elas desenvolvem suas afinidades e gostos não só pelas brincadeiras como pelos coleguinhas e professores.” (Glauce Eliane Guedes Lopes Ruas).

“Nós educadores somos agentes transformadores de uma futura e promissora sociedade. Temos uma grande responsabilidade no sucesso ou insucesso dos alunos. Somos espelhos, e eles poderão refletir no futuro aquilo que observou de nós. Podemos “sem bater fisicamente no educando”... golpeá-lo, impor-lhe desgostos e prejudicá-lo no processo de sua aprendizagem” (FREIRE, 2011, p. 119). Queremos ser exemplos a seguir, pelas nossas ações a atitudes; ser lembrados por àqueles que conduzimos à educação.” (Reginaldo Silva).

“Algo importante seria mencionar que ao estimular a criança durante a brincadeira, interessante seria se os pais se tornassem mediadores do processo de construção do conhecimento, fazendo com que elas passassem de um estágio de desenvolvimento para outro. Também ao brincar com os pais as crianças podem se beneficiar de uma sensação de maior segurança e liberdade para exploração, além de se sentirem mais próximas e mais bem compreendidas, o que pode contribuir para o melhor rendimento de sua autoestima e independência.” (Viviane Leal de Carvalho).

“Brincar constitui uma importante forma de comunicação. Através da brincadeira, a criança reproduz o seu cotidiano, além do mais, a brincadeira possibilita o processo de aprendizagem da criança, facilitando a construção da reflexão, da criatividade, da autonomia. Portanto há um grande elo entre o jogo e a aprendizagem... a importância do brincar para o desenvolvimento integral da criança nos aspectos físico, social, afetivo, cultural, emocional e cognitivo.” (Michelly Rodrigues de Oliveira Nepomuceno).

“... não tenho dúvida o quanto o brincar são importantes para a criança na sua fase de aprendizagem, as crianças aprendem a dividir e a socializar, assim realizando as brincadeiras é que as crianças crescem cada vez mais. No meu estágio... todos os dias as crianças querem saber qual será a brincadeira de hoje e sempre demonstram que não se esqueceram do que aprendeu no dia anterior, por isso a importância da formação continuada dos profissionais da educação, para poder pesquisar, procurar se atualizar e sempre buscar novos conhecimentos melhorando seu desempenho profissional.” (Amanda Mariana Barbosa).

“Educação infantil”, o próprio nome já nos diz, educar criança, preparar para vida em sociedade, por isto o papel do educador nesta fase é essencial, pois, através desta fase nossas crianças terão a base para prosseguir adiante nos seus trabalhos educativos de aprendizagem, no entanto a relevância em levar para elas as brincadeiras instrutivas são essenciais, pois, brincar também faz parte do ensinar e do aprender sem contar a importância do que se deve dar para as crianças dentro da brincadeira, pois, logo, dizemos toda criança tem brincar para aprender a se socializar, e abrir sua mente para o conhecimento recíproco e próprio. (Joana Darc Bernardes Oliveira).

“... vejo que a rotina criativa e bem elabora em sala de aula é adequada e muito construtiva para criança, pois estimula a socialização e a autonomia. Inovar é muito importante, trazer sempre atividades atrativas e diferentes, buscar trabalhar em grupo, e sempre conversar com eles, ouvi-los, saber como estão, como passaram interagir para que eles já comecem desde cedo a conversar, a prosseguir em um dialogo. Atividades como o brincar é de suma importância pra qualquer criança, pois é brincando que ela se expressa, se comunica, interage espontaneamente, mostra o que sente e se diverte, por isso é tão importante que a escola disponibilize espaço para as crianças.” (Ana Flávia Junia da Silva).

“... os jogos e brincadeiras são ferramentas perfeitas para trabalhar todas estas dimensões de maneira global e lúdica, motivando a criatividade e desenvolvendo aptidões gerais e específicas. Mas para que este trabalho seja realmente efetivo, atingindo aos objetivos propostos devemos planejar as atividades com critério e acima de tudo adotando uma postura de muita observação e sensibilidade para perceber as diversidades e características de cada criança. Através destas observações podemos detectar conflitos familiares, dificuldades de socialização ou cognitivas e tendências comportamentais das crianças, para focar o trabalho pedagógico de maneira mais eficiente e prazerosa para o grupo.” (Érica Almeida Bicudo Correa Leite).

“Elas aprendem brincando, seguem uma rotina de brincar, aprender, comer, dialogar com professores e colegas. Através desta rotina ocorre a construção da autonomia, organização e socialização. Por meio das brincadeiras as crianças vão conhecendo o mundo a sua volta... vejo como esta é importante para despertar a imaginação das crianças principalmente se houver uma dramatização que prenda suas atenções... percebo que esta não deve ser confundida apenas com contato físico. O educador tem um importante papel de acolher, educar e brincar no ambiente escolar.” (Flavia Cristina de Seixas).

“... brincar para criança é coisa séria. É brincando que a criança conhece a si mesma e o mundo. Quando a criança brinca podemos conhecer seu modo de vida, verificar o seu aprendizado e a sua forma de ver as coisas. Podemos descobrir seus gostos e também os seus medos. Ao brincar através da fantasia ela cria o seu mundo, inventa seu próprio espaço, onde tudo termina bem.” (Clarice Aparecida Teixeira Cambraia Trindade).

“... não tenho dúvida o quanto o brincar é importante na vida das crianças. Nos momentos das brincadeiras as crianças aprendem a socializar, usa sua própria imaginação trabalhando sua linguagem de forma natural, e nesses momentos as crianças passam para os professores (educadores) suas próprias vivências, pois elas reproduzem o que os adultos fazem em suas casas (mundo do faz de conta), as imitações das crianças são de grande importância para o professor.” (Neide Aparecida de Almeida).

“O professor deve buscar o aperfeiçoamento no sentido de usar os jogos e brincadeiras para criar oportunidades da criança conhecer a si mesmas através do brincar. A Brinquedoteca deve ser um espaço escolar que favoreça a brincadeira livre, e o profissional, além de ter qualificação para atuar neste espaço priorizando o sentimento da criança também deve permitir que ela entrasse em contato com o seu mundo mágico, para um brincar de qualidade. A palavra lúdica vem do latim ludus e significa brincar. Brinquedos e brincadeiras e divertimentos podem ser usados de maneira correta pelo educador para educar e facilitar a aprendizagem, e desenvolver seu conhecimento e a sua compreensão de mundo.” (Lazara Maria Rios de Azara).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Acesse Rápido suas Páginas Preferidas

Bambolê

Gangorra

Pular Corda

Amarelinha

Aviãozinho

Carrocel